quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Como foi seu 2009?


E então...
Como foi seu 2009?
Lembrou do que havia
prometido a si mesmo?
Cumpriu?
E por que não?
Vai tentar de novo ou não?
Conseguiu?
Era como você esperava?
Refletiu sobre suas
conquistas de 2009?
Ganhou ou perdeu
mais do que merecia?
Tentou vencer seus vícios?
Criou coragem quando devia?
Evitou erros antigos?
Deu atenção a quem te ama?
Arranjou tempo para os amigos?
Se apaixonou?
Mas... E então...
Como foi seu 2009?

D. Wood

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Meu Presente de Natal

Meu presente de Natal
é tão belo e diferente,
que jamais se encontrará
em lojas que vendem presentes.

Ele é fácil de fazer
e não precisa dinheiro,
é uma árvore de Natal
com presentes verdadeiros.

Na ponteira tem uma estrela
que brilha mais do que ouro,
é a estrela da AMIZADE
presente maior que tesouro.

Minha árvore é toda enfeitada
com os mais belos sentimentos,
que transformam nossas vidas
nos mais puros e belos momentos.

Festões dourados de AMOR
que com o CARINHO e
a BONDADE misturados,
dão um toque de suavidade
aos nossos sonhos e anseios,
de PAZ para a humanidade!

sábado, 19 de dezembro de 2009

O Amor na Prática é Sempre ao Contrário

Eu estava refletindo esses dias sobre como o 'amor' é retratado pelas pessoas, comecei a prestar atenção em algumas músicas, afinal é uma dos meios onde o amor é mais explorado.

Cheguei a conclusão que assim como a maioria das coisas o amor depende do ponto de vista... do ponto de vista de quem tá assistindo, de quem tá sentindo, ou de quem já passou por isso.

O Titãs canta que 'não existe o amor, apenas provas de amor' e nos faz pensar em como demonstramos mais as coisas do que como elas realmente são e também tem o Cazuza com 'o amor na prática é sempre ao contrário' confesso que não cheguei a uma única resposta para isso, acho que apesar de varias e varias definições do que seja o amor, na prática sempre agimos diferente com quem amamos, talvez seja isso, ou talvez queira dizer que nossas atitudes em relação ao amor sejam diferente do que imaginamos, talvez seja isso... mas não tenho certeza.

também o questionamento da Legião Urbana que serve muito bem para os dias de hoje... 'e hoje em dia como é que se diz: eu te amo?' Bom para essa pergunta eu não sei a resposta exata, mas quem saiba ainda seja 'eu te amo' ou no fundo nem precisemos dizer nada.

Portanto assim como canta Maria Rita... 'Se perguntar o que é o amor pra mim, não sei responder, não sei explicar.'

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Olhos Fechados

Sentindo percorrer cada parte do meu corpo...
As mãos estão por todos os lugares, ao mesmo tempo.
Mesmo de olhos fechados consigo ver sua expressão.
Você parece satisfeito com a minha reação.
Sim, sim. Estou mesmo de olhos fechados.
Como eu te disse, posso ver exatamente sua feição.
Não me importa exatamente a quanto tempo estamos aqui.
E nem o que fazemos.
O mundo não faz sentido quando sinto você longe.
Não, agora não quero pensar em distância.
E eu acho que...
Talvez fosse melhor você fechar os olhos também.
Afinal nós dois não precisamos ver nada nesse momento.

D. Wood

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Perto... Longe... Agora... Depois...

Do lugar onde estou vejo tudo, mas não é muita coisa.
Tudo parece estar tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe de alcançar.
Talvez agora outras pessoas estejam pensando desse modo.
Ou talvez elas reparem isso depois, ou se derem azar nunca.
Perto, longe, agora, depois.
Algumas vezes essas coisas fazem diferença.
Mas somente algumas vezes.
Posso estar muito longe de ti, mas ao mesmo tempo te sentir muito perto.
Mas agora não quero explicar o porquê disso, quem sabe depois.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O Vento e o Beija-flor

Sendo ele o vento, estava sempre a brincar por aí.
Passear, subir, descer entrar nos bosques sobrevoar os lagos.
E assim passava os seus dias fazendo o que queria e se divertindo.
Em uma das brincadeiras o vento conheceu o beija-flor.
Encantou-se por ele e passou a brincar com ele, por muitas vezes quase o fazendo cair.
Após algum tempo o vento percebeu que realmente gostava do beija-flor.
E tentou transmitir isso a ele.
Mas o beija-flor não o entendia.
Afinal quem levaria a serio um vento que fica brincando por aí.
Ventos destes tipos beija-flores não costumam confiar.
E por mais que ele tentasse explicar ao vento que, daquela vez, ele não estava brincando.
O beija-flor não confiava, não, bem pior, ele não entendia.
Tentou mudar seu jeito, passou a andar mais devagar e a não balançar mais as folhas das árvores.
Mas adotando ele essa característica o beija-flor não o via.
Era somente mais um ventinho qualquer.
Ou seja, não era mais ele.
Então havia um dilema: ou ele era o vento ou era um ventinho qualquer.
De qualquer modo o beija-flor não o compreendia.
Claro que o beija-flor gostava de brincar com o vento, mas era só isso.
Então percebendo isso o vento desistiu.
Desistiu de sempre tentar mudar e mesmo assim não ser reconhecido.
Hoje em dia ele continua a 'ventar' por aí em busca de quem o entenda.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Quando Chega o Fim

Através de tudo.
Tudo pelo que se passou.
Andou, vislumbrou, degustou.
Sentiu que terminara.
Completara aquela etapa.
Sendo essa pequena ou grande.
Dependendo dos olhos que a visse.
Finalmente tinha acabado.
De um modo brusco ou em fases.
O fim havia chegado.
Como ele chegou, não tinha importância.
O que importava é que havia acabado.

D. Wood

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Observando as coisas de outro modo


Estava pensando em como seriam os feriados pra mim, geralmente não vou viajar, não vou a um lugar diferente, mais queria apreciar as mesmas coisas com outros olhos.
Sabe quando numa manha de sol você abre a janela e vê pássaros voando? Não é uma sensação gostosa?

Ok, esse final de semana vai ter o sol freqüente *pelo menos é o que parece*, mas e se chover? Porque não apreciar as gotas e o modo que a natureza age da mesma forma que olhamos um dia ensolarado?

Tem coisas que são muito mais valiosas do que presentes, dinheiro, bens matérias, essas coisas são representadas em forma de carinho, olhares, gestos, como um cachorro que passa por você e te olha pedindo atenção.

Nesses próximos finais de semana “prolongados”, quero observar a vida ao meu redor de uma forma que nunca parei pra ver, quero ver beleza nas pequenas coisas, quero ver o brilho dos olhos, escutar a chuva cair, e se não chover quero ver o sol nascendo e se pondo, e sentir o amor pelas coisas sem ser preciso dizer nenhuma só palavra.

É assim que tento ver as coisas que me rodeiam, pode parecer meio bobo, mais eu adoro isso. Você gosta de enxergar a vida assim também?

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Procrastinação

Estava pensando sobre isso.
Sabe, se eu sou ou não uma procrastinadora.

Hum... você sabe o que é isso, ?
Bom se não sabe o que é te dou 30 segundos para ir no Dicionário ver o que é...

...
...
...

Agora que você já sabe continuemos, é claro que se você for um procrastinador você provavelmente não foi lá ver o que significa isso, então imagine ou deduza o que pode ser...

Como eu estava dizendo, não tenho certeza sobre isso, confesso que já adiei e deixei para fazer no outro dia várias coisas, alias coisas que tinham uma certa urgência, acho que eu priorizo mais o que eu quero fazer do que eu preciso fazer, ou resumindo tudo talvez eu ache que precise fazer o que quero fazer.

Mas pensando pelo outro lado da questão, pessoas que são procrastinadoras *adorei o palavrão rs* tendem a viver a vida mais 'leve' fazendo o que quer na hora que quer, não que depois não vá ter que 'correr' para deixar tudo em dia, mas acho que tende a ser menos chato o seu dia-a-dia.

Claro que assim como as propagandas de cerveja, temos que fazer isso com moderação, afinal você pode sim deixar pra amanhã o que não quer fazer hoje, com tanto que você saiba que o seu amanhã estará um pouco mais cheio e nem tão longe assim quanto imagina, e que, sim, por mais que seja chato o que você tem que fazer algum dia em alguma hora você terá que fazer *dependendo do que for é lógico*

Enfim, procrastinando ou não, leve sua vida de um jeito que você não se arrependa de ter feito, ou não ter feito, o que queria fazer assim poderemos dizer num futuro próximo que não temos arrependimentos do que passou.

Tive a ideia deste post após ler a matéria 'Ei, você preste atenção' da Galileu e no final dela tem um teste pra você saber se é procrastinador ou não. E não, eu não digo qual foi meu resultado *mas se vocês quiserem dizer se sintam a vontade rs*.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Conjuga-me

Hoje passei rapidinho pra dar uma dica de site.Pra você que quer escrever corretamente e às vezes não faz ideia de como conjuga aquele verbo que você precisa colocar naquele seu e-mail importante do serviço, trabalho da faculdade ou até mesmo na sua carta de amor *as pessoas ainda escrevem cartas de amor?*

Enfim no site Conjuga-me você digita o verbo e ele conjuga nos mais variados tempos e pessoas, alem de ter links para traduções em outros idiomas, aliás esse site já me ajudou bastante.

Espero que assim todos nós judiemos menos do português. rs

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A Existência do Vento

Nunca gostei muito do vento.

Motivos?

Nenhum especifico, apenas aquelas desculpinhas bobas, que nós apelidamos de frescuras.

Além de refrescar um dia quente ou anunciar a possível chegada de uma chuva, eu não via sentido em sua existência.
Ok. Eu sei que o vento não precisa parar um pouquinho sua trajetoria e pensar: Ser ou não ser? Eis a questão.

Não sei.

Quer dizer, só sei que eu precisava de um motivo plausível, na minha cabeça, para a existência do vento.
Simplesmente deveria existir um.

Então ontem surgiu uma teoria.

O vento, ao meu ver, é um dos modos que a Terra tem de dizer que está viva. Sabe como se fosse uma de nós que anda no meio da multidão, esbarrando, nos derrubando, completamente viva.

Acho que agora tenho meu motivo suficiente. O vento é um sinal. Um dos meios dela, a Terra, dizer que está viva.

E você... tem algum outro motivo, físico, químico, psíquico ou seja lá qual for, para a existência do vento?

Meu pedido de desculpas a vocês

Recebi por email o texto da postagem anterior "A realidade da vida", no email constava que o autor era Arnaldo Jabor, então na postagem coloquei conforme estava no email. Hoje recebi um comentário no blog que diz o seguinte:

"rebloggando-requeri (http://rebloggando-requeri.blogspot.com/) deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A realidade da vida":

Posso indicar algumas fontes onde você irá encontrar textos verdadeiros escritos por Arnaldo Jabor. Este que você postou em seu blog, não é da autoria dele. Pra vc ter certeza, e poder confirmar o que estou dizendo, entre no google e escreva o título do texto ou alguma frase contida nele. Acredito que seria prudente você trocar o nome do Jabor, pela frase: Autor Desconhecido. repito, posso indicar as fontes que mantenho na sidebar do meu blog, caso você queira publicar textos verdadeiros do Jabor ou de algum dos autores vítimas da falsa autoria - apócrifos - que circulam pela web. rc. "

Então peço desculpas a vocês por não conhecer o verdadeiro autor e postar algo com o nome de outra pessoa, perdoem meu engano.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A realidade da vida


Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:

'Ah,terminei o namoro...'
'Nossa,quanto tempo?'
'Cinco anos...Mas não deu certo...acabou'
'É não deu...'

Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate...se joga...senão bate...mais um Martini, por favor...e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria compania?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim...quem disse que ser adulto é fácil?

Autor Desconhecido

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Mesmo que Seja Estranho, Seja Você.

Hoje em dia vivemos cheios de rótulos.

Somos rotulados por várias coisas... Somos isso porque consumimos aquilo, pertencemos a tal tribo porque fazemos, ou deixamos de fazer, aquele outro.

Ao final das contas somos produtos. Produtos que a sociedade cria, através de sua tendências que são gravadas em nossas cabeças com ou sem a nossa permissão, e como todo bom produto temos muitos rótulos com direito a quantidades de calorias e lipídios.

ok, você não quer ter os rótulos ou os acha fora de moda... e então o que você vai fazer?

Porque de um jeito ou de outro precisamos nos enquadrar em algum grupo, não que por causa disso deixaremos de ser quem nós somos, algumas pessoas chegam a esse limite, mas acho complicado.

Tribos, grupos e etc são simplesmente necessidades.
Necessidade de reconhecimento, de pertencer a algum lugar, de ter esse lugar para qual sempre possa voltar, enfim todo ser humano se encaixa em algum grupo.

Isso não quer dizer que você seja igual a todos eles, você é você e pronto, entenderam certo? E também não quer dizer que você precise se comportar como os outros.

Só porque você tem seus rótulos não quer dizer que você não possa se desfazer deles, ou adquirir alguns novos ou manter os que tem.

Você pode deixar de pertencer a algum lugar ou trocar se tiver a fim, mas mesmo que seja estranho seja você.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Sonho Meu...

Como já havia mencionado nesse post aqui, gosto muito de mitologia, e segundo a mitologia grega Morfeu era o deus do sonho *em alguns lugares definido também como deus do sono*, formava os sonhos que vinham para aqueles que adormeciam e vezes dando avisos sobre eventos futuros.

Umas das definições que achei sobre Morfeu: "Ninguém era mais habilidoso que ele em reproduzir a maneira de andar, uma expressão, o som de uma voz. Além disso, usava as palavras e trajes mais típicos de cada pessoa."

Eu acho que isso se encaixa perfeitamente na descrição de sonho, afinal muitas vezes você não precisa 'ver' para saber que está lá, uma expressão ou até mesmo um som que está presente no seu sonho já basta e quanto as roupas e palavras acho que seria o modo do inconsciente se adaptar as coisas do nosso dia-a-dia tornando muitas vezes um sonho real até de mais.

Eu sou do tipo de pessoa que quase nunca se lembra do que sonhou, porque sonhar sonhamos todas as noites *ou dia, não sei que hora você dorme*, apenas não nos lembramos.
E se quer saber eu acho bom não lembrar, geralmente me incomoda, ainda mais pelo fato de que algumas horas depois de acordar as lembranças do sonho vão ficando cada vez mais e mais vagas, como se você tentasse puxar uma linha, para ver o que tem no final e a linha simplesmente sair voando e sobrando apenas sensações sobre o que poderia ter no final da linha.

Sensações boas, ruins, angustiantes... depende do que você sonhou, você não se lembra o que foi, mas a sensação continua lá por um bom tempo. Como se fosse um aviso sobre alguma coisa ou então sobre algo importante, mesmo que conscientemente você não ache isso.

Acredito que sonhos tenham significados sim, mas não para serem utilizados em jogos de azar e muito menos que estejam escritos nos vários livros de interpretação de sonhos.

Acredito que se cada pessoa pensa diferente e portanto tem visões e metas diferentes, me responda por que a interpretação de sonhos estaria toda explicada em um livro?

Mesmo inconscientemente, através de seus sonhos, você está tentando se alertar de algo, mas cabe somente a você saber o que seria esse algo.

domingo, 23 de agosto de 2009

Perdida é pouco...

O negócio é o seguinte: o que fazer quando nem se sabe qual é a situação e nem onde se encontra?

É minha gente, a situação é essa, estou completamente perdida, não sei por onde começar, ok vocês podem me dizer pra começar pelo começo...

Mas...

Qual é o começo?

Aliás, existe um?

E se o começo não existe como eu começo?

Ué você não está entendendo?

Eu muito menos.

Sim, estou completamente perdidinha.

Por mais que eu pense, avance ou recue, pra mim todos os caminhos levam a somente um lugar, sim esse mesmo, ao nada.

E se querem saber o nada é assustador.

Pois assim, pensem comigo, se é que estão acompanhando isso...

O que é o nada?

Uma das melhores explicações que conheço é de que o nada é o contrário de tudo, mas ficamos no dilema...

O que seria o tudo?

Sim, você tem toda a razão... estou mais perdida do que no começo desse texto...

Mas concluindo...

Por mais que eu pense em tudo isso sempre acabo chegando ao nada.

É acho que no meu caso perdida é pouco...

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Não Delete

Ontem eu voltei às aulas. Foi bom finalmente rever as pessoas, o lugar e até mesmo os professores. Após as novidades e horário meio que apertado de aulas que teremos me lembrei de uma coisa que havia conversado no ônibus com um colega de sala.

Estávamos falando de memórias e ele me disse que seria bom se existisse um chip capaz de deletar certas memórias que ficam em nossas cabeças.
Não vou negar que achei o máximo essa ideia, pelo menos naquele instante.

Sei que foi uma brincadeira porque eu mesma não teria coragem de usar um chip desses, mas por algum motivo pensei nessa conversa boba a noite toda.

Afinal será que seria bom mesmo esquecer as coisas ruins que aconteceram?

Eu acho que não, por mais doloroso que elas ainda pareçam fazem parte da sua vida, são a sua 'bagagem' foi com elas que você adquiriu experiência penso também que foi com elas que você conseguiu se precaver de alguma outra coisa que poderia se repetir, mas você impediu isso afinal, você já viveu isso e se lembra de como foi e de como se sentiu.

Já ouvi falar de pessoas que passaram por algum choque, algo que realmente impactou a sua vida, e simplesmente 'deletaram' lembranças das quais não queriam mais ter, claro que inconscientemente, até acho que pode ser um modo do cérebro se 'defender' de alguma coisa realmente ruim que possa acontecer com essa pessoa, mas não acho que isso resolva, você até pode conseguir apagar lembranças que não quer mais, mas elas aconteceram, você se lembrando ou não.

Portanto não delete suas memórias por mais horríveis que elas possam ser, mas não viva no passado, memórias servem como alicerces para sua vida, mas já passou, com o que você aprendeu e viva o presente.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Medo

Afinal porque temos medo?

Exatamente que tipo de emoção é essa que nos faz perder a coragem?

Já me perguntei tantas vezes isso a mim mesma, mas parece que dou voltas e voltas sem sair do lugar, claro que assim como a maioria dos sentimentos não há como explicar em palavras, mas o 'medo' realmente é uma das mais complexas em minha opinião.

Pessoas podem chegar a fazer (ou deixar de fazer) coisas absurdas quando sentem medo, parece que uma parte racional do nosso cérebro é tomada por ele e então ele nos controla.

Raciocinando friamente é uma besteira temer alguma coisa, sabe não faz sentido, pare por alguns segundos e pense em alguns dos seus medos de antigamente, faz sentido hoje em dia?

Mas por um lado quem disse que alguém consegue ser tão racional assim a ponto de 'apagar' seus medos?

É óbvio que existem verdadeiros heróis, corajosos o suficiente para enfrentarem seus medos, mas nunca poderão dizer que estão livres de todos os seus medos, por menor que seja, ele estará lá e sendo frequente ou não, ele em algum momento te assustará.

Apenas encerrando sem chegar a conclusão alguma (quem sabe um dia eu consigo?) me lembro de uma frase que foi dita pelo ex-presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, sobre o medo é uma das 'teorias' que mais faz sentido pra mim até hoje:

"Acredito firmemente que a única coisa a temer é o próprio medo. ''

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Eu já Ouvi... Utada Hikaru

"As coisas do cotidiano que mantém todos ocupados
Estão me confundindo
Foi quando você veio na minha direção e disse..."

Utada Hikaru (ou Hikaru Utada, ocidentalmente falando) é uma cantora, compositora e produtora japonesa, num estilo j-pop (musica pop japonesa), variando entre músicas românticas a dance R&B, é uma das cantoras que mais vende no Japão tendo também vendido muitos álbuns nos EUA, já que também grava em inglês (nasceu nos EUA de pais japoneses) e na adolescência se mudou para o Japão.


Particularmente, entre as músicas japonesas *prefiro as musicas dela em japones*, j-pop não é o meu estilo favorito, mas posso afirmar que ela é uma das minhas cantoras favoritas, suas canções na maioria das vezes são voltadas ao amor e nostalgia *mta nostalgia, que eu adoro*, mas há também exceções como Boku wa Kuma *no qual ela canta que é um urso, quando li a tradução morri de dar risada, mas o ritmo é gostosinho de ouvir* e Niji Iro Bus *onde existe um ônibus pintado de arco-íris, morri de rir também* essas duas músicas do cd Heart Station.


Possui 5 álbuns japoneses, 3 em inglês e 1 coletânea japonesa *e um monte de singles*, além de DVDs de show *inclusive o United States é ótimo*, ganhadora de prêmios desde o inicio de sua carreira em 1999 Utada é a única artista no Japão a alcançar o 1º lugar quatro vezes em uma parada de sucessos anual, já compôs músicas para a série de videogame Kingdom Hearts (umas das músicas é o trecho do começo do post, Simple and Clean (versão japonesa 'Hikari') e para o anime Evangelion (Beautiful World e Kiss & Cry).


Site Oficial: http://www.utada.com/

Download de singles e albums *somente os japoneses*: A-nation


Colors - Utada Hikaru

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Não Deixe o Amor Passar

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento,houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.


Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.


Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.


Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR.

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 8 de julho de 2009

O poeta não morreu...

Senhoras e senhores lhe trago boas novas... ideologia eu quero uma pra viver... quem vem com tudo não cansa... o tempo não para, não para não...

... e o tempo não parou, tanto é que ontem fez 19 anos que Cazuza morreu, e quando isso aconteceu eu era pequena, muito pequena, não tinha noção de nada, não fazia idéia o quão grandioso e quanto talento ele tinha.

Hoje tenho noção, e admiro muito, só lamento o fato de nunca ter ido a um show. Assim que passei a conhecer as músicas dele, eu devia ter uns 12 anos, fui buscar mais informações, sobre carreira e etc.

Cazuza já foi ator, foi integrante do Barão Vermelho, foi o primeiro artista brasileiro a declarar que sopositivo de portador da AIDS e o mais importante viveu intensamente sempre compondo musicas de protesto ou românticas, expressava na música o que queria.

Poderia falar e falar sobre Cazuza e não me cansaria, o nosso amor a gente inventa pra se distrair... exagerado eu sou mesmo exagerado... Ele se foi, mas o poeta não morreu no esquecimento suas músicas continuam vivas e como Cazuza dizia: faz parte do meu show.


sexta-feira, 3 de julho de 2009

Animação: "The Clocktower"

Vi essa aimação hoje no deviantArt de Arenyth , vale a pena ver, e foi por isso resolvi compartilhar com vocês...


video

quinta-feira, 2 de julho de 2009

"Bom dia" ...

Um simples "bom dia" pode fazer diferença no seu dia todo, seja ele num ponto de ônibus, por telefone, eu uma mensagem... tanto faz, o importante é que seja verdadeiro.

Estava pensando sobre isso hoje, as pessoas ultimamente andam tão frias umas com as outras, que quando passamos pela rua elas mal olha pra gente, tudo bem que eu moro em uma cidade pequena então aqui todo mundo conhece todo mundo (praticamente) então é mais comum quando você passa e mesmo os não te conhecem desejam um "bom dia", eu me sinto muito bem com isso, mas quando estou em uma cidade "maior" vejo que as pessoas são mais fechadas
(tá, aqui eu conheço todo mundo e lá geralmente, quase ninguém).

Um bom exemplo, e que acontece todo dia, mais acho que as pessoas não reparam muito, é dentro de um ônibus, por exemplo, todos os que vão entrando sentam em bancos separados, mesmo nos que tem dois lugares só tem uma pessoa, a não ser que estejam todos ocupados, você não senta do lado de outra pessoa a não ser que não tenha lugar pra sentar sozinho, e quando isso acontece parece que mesmo naquele banco apertado a pessoa tenta não olhar, não comprimentar e não encostar em você, são raras as pessoas que pronunciam palavras diretas nessa situação.


Enfim, o ponto em que eu queria chegar é que não custa nada ser simpático, desejar "bom dia", agradecer, e sentar ao lado de pessoas estranhas e pelo menos sorrir, pode ter certeza que isso não fará mal nenhum a você, muito pelo contrario.

Um ótimo dia a todos!