Pages

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Decepção...

Tá ai uma palavra do que diz tudo que sinto hoje, uma explicação seria confusa. Sei que deveria voltar aqui falando de coisas boas já que faz algum tempo que não escrevo, mais hoje é isso.

A única coisa que tenho pra compartilhar nesse momento é decepção... na verdade não gostaria de compartilhar...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Que a Força Esteja com Você!

Não, não vou falar de Star Wars, quer dizer até poderia encaixa-lo aqui... mas não é isso.
Eu quero falar sobre força do pensamento. Até hoje conheci poucas pessoas que REALMENTE acreditam que força de pensamento exista.

 Sabe aquela velha história, pensamentos positivos atraem coisas positivas e pensamentos negativos atraem coisas negativas. Sim, isso funciona.
Já provei isso por dados estáticos, físicos, místicos, químicos, biológicos e psicológicos (mentira), mas provei sim.
Mas ai você escuta aquilo: Mas comigo não funciona!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

E então?

Estavamos conversando, eu e o pessoal do meu grupo sobre como foi o semestre da faculdade que acabou

Eu comentei algumas coisas, falei pouco. Porque eu tenho um sério problema de me expressar, às vezes tenho a impressão que algumas coisas coisas que falo machucam que escuta.

Na maior parte do tempo é lógico que nem percebo isso.

Não sei se isso é egoísmo meu ou talvez seja simplesmente a minha personalidade.

Quando eu era um pouco mais nova, quase não falava e então as pessoas se afastavam porque eu era muito fechada, hoje em dia às vezes acho que é o contrário, eu falo e as pessoas se afastam porque eu falo o que não devia.

De qualquer modo preciso encontrar um jeito de controlar isso.

sábado, 20 de novembro de 2010

Confie em Mim

Participei do Livro Viajante, uma brincadeira de uma comunidade do Skoob onde uma pessoa repassa o livro para outra ler, no nosso caso foi pelos correios para cidades vizinhas, enfim, o livro escolhido foi o "Confie em Mim". Irei tentar contar o que eu achei sem falar spoiler.


O livro conta a história sobre os pais de um adolescente que decidem vigia-lo através de um programa no computador dele. Confesso que mal lendo isso já havia torcido o nariz, achando tudo um absurdo e que independente dos fatos que os levaram a fazer isso, invasão de privacidade não é boa coisa.


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O vestido, o cego e o cone de sinalização

Na sexta eu passei praticamente o dia inteiro pensando no vestido que vi em uma loja pela manhã. Não apenas no vestido, mas também no seu valor. Estava tão barato. E eu realmente adoro comprar vestidos, ainda mais naquele preço.

O dia passou bem lentamente, como toda a sexta-feira que se preze.

Assim que eu sai fui direto para a loja que eu havia visto o vestido, estava descendo a rua, era na próxima esquina, quando eu vi um senhor cego de frente ao sinal, que estava fechado para os carros.

Sabe ali, ele estava simplesmente parado esperando alguém. E quando eu perguntei se ele queria ajuda ele disse que sim sorrindo. Ele realmente estava esperando alguém, e esse alguém se resumia em "qualquer" pessoa que o ajudasse a atravessar a rua.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Coragem

Já fiz um post há um tempo falando sobre o que eu entendia sobre o medo, ou o que eu achava que entendia sobre o assunto.
E hoje quero falar sobre a coragem. Mas não apenas daquela coragem que achamos que poucas pessoas possuem, mas sim da coragem que todos nós temos.

Parece ser um tanto quanto estranho pensar que todos nós temos coragem, ou seja, somos corajosos. Mas analisando com uma certa calma poderemos ver que não é muito absurdo.

Por exemplo pense em algo que para você exigiu muita coragem e para outra pessoa aquilo era algo comum, praticamente parte da rotina de outro, este seria um tipo de coragem.
Mas também pense o contrário, algo que para você pode não significar muita coisa, mas que para outra pessoa exigiu uma decisão e risco. Ou seja, ela foi corajosa.

Claro que há pessoas que são "mais" corajosas, acho que essas pessoas simplesmente nascem assim, ou a vida as torna assim. Porque não acredito que uma pessoa depois de viver tudo que viveu continue do mesmo jeito, não me refiro a princípios (não que eles sejam imutáveis) e sim a todo o resto. A pessoa como um todo, o essencial que cada um de nós temos.

A coragem pode ser essa 'coisa' imutável, mas também pode ser algo que é adquirido por alguma experiência, uma decisão, um risco que você deve, ou precisa correr.

Apenas tenha em mente que de um jeito ou de outro você possui coragem, só precisa achar um jeito de encontrá-la.

p.s.: agora vou postar com meu nome mesmo, mas ainda sou uma garota verde =P

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A Teoria do Chiclete

Quando algum amigo meu me oferece chiclete eu sempre recuso e digo que não masco chiclete.

E então me perguntam o porque, e respondo: eu sou contra o chiclete.

Eu simplesmente não vejo objetivo em mascar (mastigar) algo que não vou engolir. Não faz sentido pra mim.

Claro que quando digo isso as pessoas ou estão rindo de mim ou achando que sou completamente louca, o que deve ter um pouco de verdade. E é claro que algumas tentam argumentar dizendo que é por causa do sabor e tal, mas ainda não fui convencida disso.

E também não creio que minha teoria esteja errada.
Não sei. Quer dizer, só sei que não faz sentido pra mim mascar chiclete.

E que fique claro que sou contra apenas quando esse 'mascamento' é por nada, quando é pra viagens de avião ou pra fazer bolas de chicletes neste caso tudo bem, ele até tem utilidade.

Essa teoria do chiclete também deve ser porque não aprovo coisas sem objetivo. Sabe, o velho fazer por fazer, ou pior ainda fazer sabendo que não vai dar em nada, e preste atenção, não digo fazer sabendo que se tem esperança (nem que ela seja muito remota) de acontecer algo. Falo daquelas coisas que temos certezas que não darão em nada. E nem digo nas coisas pra preencher o tempo de ócio, não, não é isso também.

Enfim quando me perguntar porque não masco chiclete esteja preparado para ouvir a resposta, ou melhor, esteja preparado para ouvir a teoria do chiclete.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

E............... Nós voltamos!

Estávamos meio 'off' mas voltamos!
Desculpe-nos pela ausência.

E hoje quero que vocês dêem uma passadinha no blog que criamos para o trabalho de marketing politico da faculdade (nós duas fazemos faculdade de Comunicação Social). Estamos desenvolvendo uma campanha para representante de classe.
Quem puder dá uma passadinha ver e dizer (por lá mesmo) o que achou e/ou sugerir melhorias nós agradecemos!

Até a próxima! (que será em breve, muito em breve)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Morte e vida severina

 (...)
- Severino retirante,
deixe agora que lhe diga:
eu não sei bem a resposta
da pergunta que fazia,
se não vale mais saltar
fora da ponte e da vida;
nem conheço essa resposta,
se quer mesmo que lhe diga;
é difícil defender,
só com palavras, a vida,
ainda mais quando ela é
esta que se vê, severina;
mas se responder não pude
à pergunta que fazia,
ela, a vida, a respondeu
com sua presença viva.

E não há melhor resposta
que o espetáculo da vida:
vê-la desfiar seu fio,
que também se chama vida,
ver a fábrica que ela mesma,
teimosamente, se fabrica,
vê-la brotar como há pouco
em nova vida explodida;
mesmo quando assim é pequena
a explosão, como a corrida;
mesmo quando é uma explosão
como a de há pouco, franzina;
mesmo quando é a explosão
de uma vida severina.
(...)

trecho de Morte e vida severina de João Cabral de Melo Neto

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O que você faria por dinheiro?

Dinheiro.
O que você faria por dinheiro?

Não estou perguntando o que você faria para sobreviver, afinal nunca sabemos do que somos capazes em situações extremas, estou perguntando: o que você faria por dinheiro?

Muitas pessoas fazem muito, e até mesmo tudo por dinheiro. Arriscam suas vidas, perdem sua honra, dignidade e qualquer outra coisa mais que tenham, apenas por causa do dinheiro.

Afinal com esse dinheiro todo elas poderão comprar muitas coisas, e depois de muitas e muitas coisas verão que não possuem suficiente e assim continuará, afinal todas essas coisas inconscientemente são compensações daquilo que elas perderam, por causa do tão sonhado dinheiro.

Até que chegará aquele dia em que verá o quanto perdeu, e que essas coisas 'perdidas' ela jamais encontraria a venda numa loja, novamente tentará compensar o seu 'erro', o que na verdade antes era sua 'meta' a qual ganhou proporções enormes não tendo fim. E então na vã esperança de tentar 'consertar' o erro que era a meta, elas tentarão diminuir o que conseguiu com aquela meta, ou seria melhor dizer repartir?

Ajudando os necessitados ou até mesmo tentando se livrar de seu dinheiro por meios no qual não ganharão uma 'coisa física' em troca, e depois de todo este esforço será mais do que óbvio que todas essas compensações nunca 'consertará' seu erro, se elas tiverem muita sorte talvez se sintam um pouco aliviadas.

Talvez.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Making-of ( Havaianas)

Olá pessoas, estava passando pelo blog Publicidade Ambulante e vi um vídeo interessante.
Adoro coisas criativas, e ver que as pessoas me surpreendem a cada dia me agrada muito.
Agora, o vídeo pra vocês da campanha das Havaianas Verão, da agência AlmapBBDO.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O Sentido da Vida


Há um tempo atrás, mais ou menos dois anos, aconteceu um fato na minha vida, que não vou descrever porque se não esse post vai ficar muito longo, o qual eu não entendi o que se passou.
Aí vocês devem estar pensando: "Nossa como ela é pretensiosa imaginando que sabe de tudo!" Não, não é isso.

Metaforicamente falando, eu não conseguia achar de jeito nenhum a resposta para preencher os quadradinhos em branco das palavras cruzadas, até tentei olhar na resolução que fica no final, mas era como se justamente aquela página estivesse em branco.

Que nome dar a isso que aconteceu? Talvez 'mistérios da vida', não sei...

Claro que demorei um certo tempo para aceitar que eu nunca saberia o que tinha acontecido por mais que eu procurasse a resposta, creio até que mesmo se eu voltasse no tempo não conseguiria ver a resposta.

Quando acontece uma coisa pequena dessa mas eu não consigo achar a resposta eu imagino sobre as coisas maiores....

Será que realmente há um 'sentido da vida'? Ou são vários e não apenas um? Ou ninguém sabe qual é?

Deveria eu ficar questionando o sentido da vida?

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Quando decidimos mudar.

Acho que todo mundo pelo menos uma vez já se incomodou com alguma coisa e decidiu mudar, mais essa decisão é só o primeiro passo, não é nada fácil mudar hábitos ou costumes que você tem, acho que todo em algum momento, tende pelo lado mais fácil das coisas. Não parece nada fácil pensando assim não é? E realmente é complicado, principalmente pelo fato de ter acostumado com essas “coisas”, mais estou falando disso porque estou vivendo isso.

Bom, algumas coisas vêm acontecendo comigo ultimamente e o que era “cômodo” hoje já não é mais então estou tentando mudar e eu vou conseguir, tenho certeza! Tudo que eu preciso é força de vontade, coragem, e consciência de que isso pode mudar muita coisa daqui pra frente, mais pensando bem, eu não me importo, tudo que eu vou fazer hoje é pra tornar as coisas melhores.

Será que mais alguém esta precisando de uma mudança também???

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Boa Sorte

A maioria das pessoas por mais que digam que não acreditam nisso, uma hora ou outra, acabam culpando a sorte ou a falta dela, em algum acontecimento. Apesar de o tempo estar sempre mudando, novas tendências e costumes aparecendo e desaparecendo, a sorte sempre está lá.

Não passar debaixo de escada, o gato preto (tadinho dele), trevo de quatro folhas, ferradura e etc.

Mas afinal o que seria a sorte?

Uma força, destino, alinhamento dos planetas... ou o quê?

Eu sou do tipo de pessoa que não acredita em sorte, mas também não posso explicar porque algumas pessoas conseguem ganhar mais em sorteios do que outras... talvez seja o pensamento positivo, quando você acredita, nem que seja um pouquinho, que tem chance de ganhar, isso acontece, eu acredito nisso.

É tão comum usarmos a palavra 'sorte' no nosso dia-a-dia que às vezes não percebemos. Não sei quanto as outras pessoas, mas quando eu desejo boa sorte a outra falo isso levando a sério, é claro que não acredito que irá chover sorte em cima da pessoa, mas sim que eu enviarei meus pensamentos positivos para ela.