quinta-feira, 16 de outubro de 2008

"Oi! Tudo bem?"


Como você vai me responder?
Essa frase que todos nós usamos no nosso dia a dia com as pessoas no geral e respondemos automaticamente 'sim' perguntando rapidamente o mesmo sem pensar realmente no que estamos falando, não deveria ser usada de uma maneira tão leviana.
É claro que você pode me dizer que isso não passa de mera formalidade, etiqueta, educação, escolha o termo que preferir, mas e se a outra pessoa que você perguntou parou, pensou e chegou a uma conclusão que iria ser sincera na resposta, ela nunca faz isso, mas exatamente naquele instante que você abriu a boca pra perguntar se ela está bem, ela se vira e responde 'não'.
O que você faz?
Em milésimos de segundo seu cérebro junta todas as informações sobre aquele-ser-que-percebeu-que-não-estava-de-bem-com-a-vida, assim imagino, e que quis contar pra você sobre isso, bom se for alguém mais próximo você escuta e tenta ajudar, isso se você estiver de bom humor não vá ajudar alguém de mau humor sendo que você está de mau humor, se é alguém mais ou menos próximo você muda de assunto, seja sutil ao fazer isso, e se é alguém que você, quando o seu cérebro naqueles milésimos de segundos, não conseguiu juntar muitas informações a reação clássica é sorrir, ou pelo menos tentar, e fingir que não escutou nada.
Acho essa coisa, a de perguntar se alguém está bem ou não, é muito séria.
Se você realmente não quer saber e não faz à mínima, então porque a pergunta?
Bom escrevei tudo isso, porque alguém está de mau humor, então a coisa mais insensata de minha parte, mas eu já fiz muito isso e não prometo que não farei de novo, seria perguntar se ela está bem, mas nesse caso me interessa, e muito, a resposta dela pra vê se consigo ajudar de alguma forma.
Então eu pergunto a você que está lendo: Oi! Tudo bem?
Postar um comentário