Pages

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O Vento e o Beija-flor

Sendo ele o vento, estava sempre a brincar por aí.
Passear, subir, descer entrar nos bosques sobrevoar os lagos.
E assim passava os seus dias fazendo o que queria e se divertindo.
Em uma das brincadeiras o vento conheceu o beija-flor.
Encantou-se por ele e passou a brincar com ele, por muitas vezes quase o fazendo cair.
Após algum tempo o vento percebeu que realmente gostava do beija-flor.
E tentou transmitir isso a ele.
Mas o beija-flor não o entendia.
Afinal quem levaria a serio um vento que fica brincando por aí.
Ventos destes tipos beija-flores não costumam confiar.
E por mais que ele tentasse explicar ao vento que, daquela vez, ele não estava brincando.
O beija-flor não confiava, não, bem pior, ele não entendia.
Tentou mudar seu jeito, passou a andar mais devagar e a não balançar mais as folhas das árvores.
Mas adotando ele essa característica o beija-flor não o via.
Era somente mais um ventinho qualquer.
Ou seja, não era mais ele.
Então havia um dilema: ou ele era o vento ou era um ventinho qualquer.
De qualquer modo o beija-flor não o compreendia.
Claro que o beija-flor gostava de brincar com o vento, mas era só isso.
Então percebendo isso o vento desistiu.
Desistiu de sempre tentar mudar e mesmo assim não ser reconhecido.
Hoje em dia ele continua a 'ventar' por aí em busca de quem o entenda.

7 Comentários:

PROJETO NOVO IMPULSO disse...

Amada linda a mensagem.
A paz

WANDER.CHEF disse...

VERDADE , AS VEZES NÃO ADIANTA TEMOS DE DESISTIR, SEJA DE NOSSOS SONHOS, OU ATÉ MESMO DE NOSSOS AMORES

Ge Bastos disse...

que lindo....muito bom.parabens

Márlon Silva disse...

Tudo bem a gente se adaptar a pessoas que a gente preza, mas mudar o nosso jeito por causa de uma pessoa que não te dá a devida importância, nem pensar! Antes só do que com um peso!

Ana Lucia Nicolau disse...

realmente, muito bonita a mensagem...
abs

Claudinha disse...

Hoje mesmo eu discutia algo semelhante com meu filho. As crianças muitas vezes escondem o que são, do que gostam, com medo da crítica do amigo. Mas é amigo aquele que não entende a tua diferença? Precisamos mudar para que gostem da gente?
Cada um é um e é importante em sua singularidade. Eu sempre brinco: se todos fossem iguais não haveria Grenal! Viva a diferença!

LISON disse...

Saudações!
Que mensagem belíssima!
Parabéns pelo post!
Abraços!
LISON.