Pages

domingo, 23 de agosto de 2009

Perdida é pouco...

O negócio é o seguinte: o que fazer quando nem se sabe qual é a situação e nem onde se encontra?

É minha gente, a situação é essa, estou completamente perdida, não sei por onde começar, ok vocês podem me dizer pra começar pelo começo...

Mas...

Qual é o começo?

Aliás, existe um?

E se o começo não existe como eu começo?

Ué você não está entendendo?

Eu muito menos.

Sim, estou completamente perdidinha.

Por mais que eu pense, avance ou recue, pra mim todos os caminhos levam a somente um lugar, sim esse mesmo, ao nada.

E se querem saber o nada é assustador.

Pois assim, pensem comigo, se é que estão acompanhando isso...

O que é o nada?

Uma das melhores explicações que conheço é de que o nada é o contrário de tudo, mas ficamos no dilema...

O que seria o tudo?

Sim, você tem toda a razão... estou mais perdida do que no começo desse texto...

Mas concluindo...

Por mais que eu pense em tudo isso sempre acabo chegando ao nada.

É acho que no meu caso perdida é pouco...

6 Comentários:

Principe Encantado disse...

A angústia de ter perdido, não supera a alegria de ter um dia possuído.
Abraços forte

Ebrael Shaddai disse...

O nada e o tudo são extremos de uma dualidadem são faces da mesma moeda. Pq antes do Big Bang, o nada era tudo q existia, e hj td o dinheiro do mundo para ser feliz é nada. O certo é o caminho do "meio". O que eu acho é que no nada só há uma coisa, que eu não sei o que é. E o tudo é a multiplicação daquela única coisa, que existe no "nada", impelido por uma "faísca" que acende no nada como um fósforo.

Por isso acho que o Nada era o Deus que existia antes da Criação, uma Única Coisa que tinha dentro de si as sementes para todas as coisas que derivariam do Nada, ou seja, a latência do Ser.

Bjs!!

amigodcristo disse...

Amiga !!
O nada é o começo!!
ninguém começa do tudo..
para que o tudo exista pecisamos começar do nada,, e você não esta perdida,, so não começou, para começar, é preciso entender o nada, e as vezes o quando vemos nada é um bom começo, porque temos uma oportunidade, de fazer do nada tudoque queremos do jeito que queremos.. então esta ai um bom começo.. rsrsrs legal gostei da sua analogia do nada,,te desejo uma otima semana!!!

Anna Paula disse...

Fisicamente é preciso distinguir três coisas: o vácuo, o vazio e o nada. O vácuo é um espaço não preenchido por qualquer matéria, nem sólida, nemlíquida, nem gasosa, nem plasma, nem mesmo a matéria escura. Mas pode conter (isto é se o conceito de conter, puder ser aplicado aqui) campos: campo elétrico, campo magnético, campo gravitacional, luz, ondas de rádio, raios X, ou outros tipos de radiação bem como outros campos e a denominada energia escura. Pode também estar sendo atravessado pelas partículas não materiais mediadoras das interações. O vácuo possui energia e suas flutuações quânticas podem dar origem à produção de pares de partícula e anti-partícula.
O vazio seria um espaço em que não houvesse nem matéria, nem campo e nem radiação. Mas no vazio haveria ainda o espaço, isto é, a capacidade de caber algo, sem que houvesse. No Universo não existe vazio, pois todo o espaço, mesmo que não contenha matéria, é preenchido por campo gravitacional, outros campos e pela radiação que o atravessa, de qualquer espécie.
No nada não existe nem o espaço, isto é, não há coisa alguma e nem um lugar vazio para caber algo. O conceito de nada inclui também a inexistência das leis físicas que alguma coisa existente obedeceria, dentre elas a conservação da energia, o aumento da entropia e a própria passagem do tempo. Sendo o espaço o conjunto dos lugares, isto é, das possibilidades de localização, sua inexistência implica na impossibilidade de conter qualquer coisa. Isto é, não se pode estar no nada. O nada é, pois, um não-lugar.

Sissym disse...

Eu tenho umas coisinhas guardadaas sobre o NADA, divido então:

Antes de mais nada, primeiramente, em primeiro lugar, antes de tudo.
loc. adv. Por nada; por um nada; por um triz, por pouco. A não-existência, o que não existe; o vazio: depois da morte, o nada.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que NADA foi em vão... que o AMOR existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim... e que valeu a pena!

Bjs

marumaki.com disse...

Já vivi muito intensamente essa sensação quando tinha meus 19 ou 20 anos.

E é bom sentir isso, significa que você está viva.

A maioria das pessoas simplesmente busca o "ponto de equilibrio" entre o tudo e o nada e passa o resto da vida seguindo um padrão que lhes parece confortável.

Os demais são rotulados pela sociedade e uma hora ou outra acabam se adaptando, nem que para isso precisem colocar uma máscara com um rosto que não corresponde a realidade.

Mas sempre vale a pena lutar um pouco mais, no fim de cada fase da vida há sempre uma surpresa esperando.

É, acho que não ajudei muito, né?